Blog

Hipertensão: o tratamento é todo dia!

By 5 de dezembro de 2019 No Comments

Depois de tantas décadas de atuação na Medicina e, especificamente, na área de Nefrologia, decidi iniciar este blog semanal em meu site para me aproximar dos pacientes e leitores e trocar mais ideias e informações sobre questões ligados aos fatores de risco cardiovascular – tais como sal, álcool, colesterol, obesidade, sedentarismo e especialmente, a hipertensão, tema a que tenho me dedicado por todos estes anos na minha clínica e também nas áreas de pesquisa e ensino.

E a primeira e mais importante mensagem que devo deixar ao iniciar este blog é a da importância da manutenção do tratamento. Como eu gostaria que todos os meus pacientes, e também os que não o são, mas sofrem de hipertensão, entendessem isso e levassem essa regra para a vida!

A hipertensão, ou pressão alta, como preferir, não tem cura. Me formei em Medicina em 1976 e nada mudou nesse aspecto. Mas o que mudou, e muito, foram as condições e facilidades de diagnóstico e tratamento.

Consideramos alta a pressão que chega aos 14 por 9. A maioria dos hipertensos não sente nada, porque a pressão alta não tem sintomas. Os sintomas só aparecem quando a pressão já tornou os vasos endurecidos; o coração, cérebro e rins começam a sofrer e a pessoa pode ter alguns sintomas que mostram o comprometimento destes órgãos, como falta de ar, inchaço nas pernas e dor no peito. Por isso, o diagnóstico precoce é fundamental para evitar as complicações da doença, como derrame (AVC), infarto e paralisação dos rins. Para quem tem o diagnóstico de hipertensão, o acompanhamento médico é essencial porque você não terá como saber se sua pressão anda subindo constantemente se não há sintomas.

 

Cada paciente é único

E deu-se o diagnóstico. Pois bem, o seu médico certamente vai indicar um medicamento para manter sua pressão em dia.

hipertensão tratamentoNão há uma regra: o tipo de tratamento e a medicação variam de acordo com a pessoa, dependendo da existência ou não de complicações causadas pelo avanço da doença.

E é isso: remédio todo dia, para o resto da vida? Sim! Só com a manutenção do tratamento sua pressão vai se comportar e evitar, inclusive, que você tenha outros desdobramentos complicados na Saúde.

E se eu for beber álcool? Não tem problema – tome o seu remédio da mesma forma. Posso ficar sexualmente impotente? Não, isso é coisa do passado. Com os remédios atuais, impotência não tem nada a ver com o tratamento para pressão alta. Sentirei efeitos colaterais? Não obrigatoriamente; muitos pacientes não sentem nada, mas outros, sim – daí a importância de não fazer comparações entre você e outros hipertensos. Mas lembre-se que o seu médico é capaz de, por tentativa e erro (porque o tratamento da pressão alta é empírico), descobrir qual o melhor medicamento para você. E descobrir também qual a dose de que você precisa. Às vezes, com doses muito pequenas, você pode ter a pressão controlada sem o risco dela cair muito. Aí, sim, você vai ter sintomas. Diferentemente da pressão alta, a baixa deixa você com tontura, mal-estar, sem vontade de fazer qualquer coisa.

E, finalmente, os medicamentos para hipertensão não viciam, não causam nenhuma dependência física ou psicológica, isso não existe. Caso deixem de fazer o efeito esperado, podem ser trocados, o que será feito pelo seu médico.

Não há, portanto, desculpa para não engolir seu comprimido diário e garantir, assim, mais saúde e qualidade de vida. Nada vai fazer sua pressão alta deixar de existir – mesmo que ela siga, por semanas, sob uma medição que parece regular. Não se deixe enganar: hipertensão é para a vida toda! Adote a mudança de tomar o remédio e siga sua vida mais tranquilamente! Na realidade, tratar a pressão alta é uma alegria porque, deste modo, você evita as complicações da doença e não tem sua vida encurtada. Portanto, curta a alegria de tratar a pressão e levar uma vida normal!

Decio Mion

About Decio Mion