Atividade Física e Obesidade 01/07/2009

By 22 de outubro de 2015 Notícias No Comments

Autor: Prof. Gustavo König

Além de contribuir de forma isolada para a doença arterial coronariana, a obesidade é fortemente correlacionada aos fatores de riscos considerados primários para essa doença, como a hipertensão, diabetes e dislipidemia (alteração nos níveis plasmáticos de colesterol e triglicerídeos). Mazo;Lopes e Benedetti (2001) e Rique, Soares e Meirelles (2002), afirmam que projeções para o ano 2020 dizem que 77% das mortes nos países em desenvolvimento ocorrerão por doenças não-transmissíveis, enfatizando que, as doenças cardiovasculares atingem 32,3% da população brasileira, constituindo a principal causa de morte nacional.

Assim, o combate à obesidade está entre as medidas necessárias à promoção da saúde da população idosa, sendo uma importante condição que requer, especialmente no que se refere à prevenção da coronariopatia, intervenções educacionais que promovam uma adoção de comportamentos positivos.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, poucos estudos avaliam os benefícios de se fazer uma prevenção primária à obesidade e, normalmente, o que se vê são estudos relativos ao tratamento do problema.

Aderir a um estilo de vida mais saudável por, através da prática de atividade física e de uma alimentação adequada, é um indicativo relacionado à melhor expectativa e qualidade de vida. A modalidade do exercício deve ser aquela que não impõe um estresse ortopédico excessivo. Caminhadas, meio aquático, treino de força e flexibilidade, são algumas das modalidades citadas pelo American College of Sports Medicine.

São alguns benefícios da prática regular e sistematizada de atividade física:

• Preservar a integridade múculo esquelética; • Aumentar massa magra e reduzir massa gorda; • Aumentar a capacidade do coração e das veias para bombear sangue; • Reduzir a LDL colesterol e aumentar a HDL colesterol; • Controlar o estresse, ansiedade e depressão, promovendo a socialização; • Prevenir fraturas; • Melhorar a capacidade de exercer as atividades de vida diária; • Tendência para o balanço calórico negativo.